sábado, 3 de julho de 2010

Drogas

.

Olá.

Eu acho muito legal quando um jovem incentiva outros jovens a não usar drogas, a não beber, etc. Eu gosto muito disso, então me sinto no dever de passar isso para vocês.

As pessoas que começam a se drogar o fazem por influências. Isso todo mundo sabe. Mas, o que as pessoas sabem e teimam em não enxergar é que, uma vez que você usou uma droga, você não a larga mais. Sério. Vou dar um exemplo (que aconteceu com alguém próximo a mim, sem citar nomes ou fazer referências) : um garoto está com os amigos dele e de repente um deles oferece maconha ao garoto. Ele pensa um pouco, e só para não passar vontade, ele fuma uma vez. Ele passa mal, quase morre ali porque seu sistema respiratório não está acostumado a isso e no fim, ele promete a si mesmo que não vai fumar mais. Passa-se uma semana. Mesmo que o corpo dele não esteja necessitando fumar mais, ele começa a se lembrar da vez que fumou, e lembra que, apesar de ter quase morrido com aquilo, ele sente que teve algo bom naquilo, pois a sensação era de liberdade, de 'brisa', uma 'viagem'. Então, psicologicamente ele não necessita, mas gostaria de sentir aquilo mais uma vez. Então, com sua força de vontade, ele pega com o mesmo amigo mais um cigarro, fuma, passa mal de novo, mas a sensação de 'brisar' foi maior do que a última vez. E agora, ele vai querer mais. Aí, ele já começa a se viciar psicologicamente, e pronto, já não consegue mais largar a droga. E o pior é que o idiota vive falando que se ele quiser, ele larga, mas é pura balela. E para se livrar depois que é tenso... só os pais dizerem a ele que não deve mais fazer isso não vai adiantar, independente se ele é apegado a eles ou não (o que é difícil, se ele é apegado aos pais, ele não vai fumar porque ele sabe que os pais deles se importam demais com ele).

Pior do que usar drogas por curiosidade é usar drogas por pressão. Se um cara mais alto, mais forte e mais velho te pressiona a usar e você, por medo ou algo assim, usa e de primeira começa a se viciar, acabou com sua vida à toa. E para evitar isso, você tem que deixar de ser uma pessoa influenciável, tem que ter sua opinião firme: mesmo se você apanhar por não usar, ao menos você é inteligente e nunca acabará com sua capacidade intelectual com itens alucinógenos.

Beber também é algo triste. Eu sei como é, porque meio pai foi alcoólatra e hoje sofre as consequências por isso. Eu DETESTO bebidas. Não gosto nem de Smirnoff, que todos dizem que é bom e quase não tem álcool. Eu não gostei. Felizmente, nesse caso eu 'herdei' da minha mãe, que também não gosta. Atualmente, quase todos os meus amigos já foram fracos e cederam, beberam. Pior que isso: muitos até ficaram bêbados. Eu desprezo quando as pessoas chegam para mim e falam como se tivessem contando vantagem dizendo que já ficaram bêbados. Mesmo aqueles que não estão contando vantagem, acho repugnante. Eu bebi poucas vezes, e nenhuma passou de metade de um copo. É, quando eu digo que eu detesto, eu detesto mesmo. O pior é que a faixa etária dos meus amigos vai de 14 anos à 18, poucos foram os que passaram disso, e muitos já ficam bêbados. Os caras nem alcançam a maioridade e já compram bebidas, ficam ferrando com o corpo. E para esses meus amigos, digo somente uma palavra que expressa todo o meu desgosto: lamentável.

Vocês que tem vontade de usar drogas (ou já usam), passo minha singela mensagem: parceiro... seu corpo funciona tão bem sem drogas, para que causa, razão, motivo ou circunstância você vai querer usar drogas? Para não ser 'careta'?

É... meu corpo funciona não tão bem, mas mesmo assim eu sou feliz sem drogas. Se eu quiser 'brisar', eu vou escutar uma música do Beethoven, ou uma menos clássica, Big Sur Moon (bela música do Buckethead... recomendo). Se eu quiser passar mal, eu vou comer fritura, que de repente me dá um ataque cardíaco e morro logo de uma vez. E se eu quiser me divertir, eu saio com meus amigos, que para mim vale um milhão de vezes mais.
Pensem, meus amigos.


Tchau.

.

2 comentários:

  1. Afonso,

    surpreende-me suas palavras e, assim como você, compartilho de todas idéias aqui expressadas. Só para adicionar, bebida é deplorável e são raríssimas as pessoas que SABEM beber. Bebidas caras e finas até são aceitáveis de certo modo...

    mas de qualquer jeito, passamos longe de qualquer tipo de álcool, se bobear até Zulu xD

    te amo, fonfomon, meu manolo \o/

    ResponderExcluir
  2. Heheh, realmente. As bebidas finas foram feitas para serem apreciadas, e álcool é apenas mais um ingrediente, não algo para deixarem as pessoas sem noção. São coisas distintas, podemos ver claramente a diferença entre o Velho Barreiro e um vinho Santa Carolina. Não apenas no sabor, claro .-.

    ResponderExcluir