sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Lutas

.

Olá.

Se eu lhes disser que eu havia esquecido completamente o meu blog, vocês acreditam? heheh

Enfim, vou voltar a escrever sobre temas variados, sem muitos sentimentalismos.

Eu gosto de lutas. Sempre gostei. Quando eu era mais novo, tinha uns 5, 6 anos, eu fazia judô. Eu era bom, me esforçava! Mas quando cheguei na faixa cinza (a segunda faixa...), meu pai parou de pagar o curso porque eu havia terminado a pré-escola, e ficava mais caro fazer lá na academia, mesmo. A minha escolinha havia chego em segundo lugar no campeonato entre escolinhas. Em cada uma havia 4 representantes, e lutávamos contra 3, não sei bem como era o esquema. Só me lembro que, dos 3, eu venci 2, o meu amigo venceu só um e o outro venceu os 3.

Existem vários tipos de luta. E existe o MMA (Mixed Martial Arts, artes marciais mistas), é uma espécie de vale-tudo envolvendo todos os estilos. Mesmo parecendo brutal, a maioria deles é virado para a arte, o que significa que não foi feito para "guerrear", ou matar. Inclusive, existe um lema no MMA, que diz: "quem luta não briga" (Reflitam. ;)).

O estilo mais procurado pelos jovens brasileiros é o Jiu Jitsu, e eu ainda tento entender o porquê: para mim, é apenas imobilização com chaves de braço, perna, pescoço... não vejo muita graça. Particularmente, gosto de Muay Thai e Kung Fu. Não sou muito adepto a artes marciais ocidentais, como o boxe, mas admiro-as.

Porém, existem lutas que são feitas para a guerra. Por exemplo, o clássico Krav Magá. Não existe regras: apenas a sobrevivência importa. Nunca lute com um indivíduo especializado em Krav Magá, muitos deles vão querer um pedaço seu de recompensa. Esse tipo de luta eu dispenso.

Enfim: uma grande responsabilidade para o lutador é não usar a luta para benefício próprio, ou para machucar as pessoas; deve ser usada para a defesa. Pessoas que lutam para machucar não merecem respeito algum.


Tchau.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário